Porto Seguro é referência em educação inclusiva

170

Quem afirma é a coordenadora da Educação Especial na Bahia, Marlene Cardoso, durante o Encontro de Formação BPC (Benefício de Prestação Continuada), realizado de 12 a 14 de novembro, no Hotel Solar do Imperador, em Porto Seguro. O evento, que reuniu cerca de 200 participantes, contou com a presença da secretária de Educação, Janis Souza; da diretora geral do Ceame (Centro de Educação Inclusiva e Atendimento Especializado), Dilza Reis, além de gestores, diretores, professores, coordenadores e profissionais ligados à educação inclusiva de Porto Seguro e outros municípios da região.

“Nosso principal objetivo é conscientizar as pessoas com deficiência e seus orientadores sobre seus direitos”, afirma Marlene Cardoso. Segundo ela, a chave para o sucesso do evento foi a oportunidade de ouvir as demandas dos municípios, para buscar melhorias. “A grande importância desse encontro foi a troca de informações e a aproximação entre os municípios. E Porto Seguro é um ponto de referência nesse setor, que os demais municípios têm que levar como exemplo”, salienta a coordenadora.

Para a secretária, a educação inclusiva é um grande desafio para a administração. “Estamos melhorando nossa experiência, trabalhando junto com outras secretarias, como Saúde e Assistência Social, Governo do Estado e com as famílias. Avançamos muito, nas questões de inclusão, mas ainda estamos aprendendo a entender e contribuir para um melhor desempenho dos alunos”. Segundo ela, os avanços continuam, com ampliação do atendimento. “Temos um bom diálogo com o Conselho da Pessoa com Deficiência, que nos ajuda muito; contamos com um corpo técnico preparado, com psicopedagos e outros profissionais, adquirimos os materiais em braile e estamos comprando carteiras adaptadas para cadeirantes”, enumera.

Durante o evento, a secretária Janis agradeceu o empenho de toda a equipe da Prefeitura de Porto Seguro, que contribui para os avanços conquistados nessa área. “Obrigada a todos os profissionais, que assim como eu, acreditam que essas crianças e jovens especiais precisam ter uma oportunidade diferenciada para terem autossuficiência, dignidade e realização profissional na fase adulta”, afirmou. O setor de Educação inclusiva presta atendimento a mais de 900 alunos, nas escolas e nas 23 salas multifuncionais, instaladas inclusive em comunidades indígenas.

Ascom – Prefeitura de Porto Seguro

Related posts:

Novembro Negro traz riqueza cultural afro-brasileira e africana para os alunos
Pequenos agricultores fornecem alimentos para a merenda escolar
Semana da Leitura movimenta Escola Chico Mendes
Jornada Pedagógica Indígena reúne mais de 200 profissionais 
Mais de 8 mil atletas participam dos Jogos Estudantis de Porto Seguro
Ceame comemora Dia Internacional da Pessoa com Deficiência
Jornada Pedagógica marca início do ano letivo em Porto Seguro
Torneio Internacional de Futsal reúne escolas da Austrália e Porto Seguro
Seminário da Educação Especial reúne as famílias no Colégio Municipal
Jornada Pedagógica Indígena reúne 200 profissionais da educação
Marinha homenageia alunos da Escola Chico Mendes
Escola Indígena ganha mais espaço e novo mobiliário
Começa em Porto Seguro a Semana de Incentivo à Leitura
Finais dos Jogos Estudantis movimentam quadras de Porto Seguro
Comunidade aposta no sucesso da nova Escola Municipal do Cambolo
Secretaria Itinerante vai até escolas de Porto Seguro
Campanha estimula jovens e adultos a voltarem para a escola
Transporte escolar de Porto Seguro passa por vistoria
Alunos e escolas municipais são premiados pelo projeto Lescrever
Ceame comemora 10 anos de apoio a pessoas com deficiência
Escolas de Porto Seguro recebem novo mobiliário
Escola Paulo Souto reconta a história em literatura de cordel
Abertas as matrículas para o Ensino de Jovens e Adultos
Desfile de 07 de Setembro traz reflexão sobre avanços tecnológicos
Transporte Escolar é reformulado para atender demandas de Porto Seguro
Fórum Municipal traça novas metas para a Educação